Acontece
A formação continua!

Em novembro aconteceram os últimos encontros do Aprendendo com Arte na modalidade semipresencial e o encerramento dos fóruns do curso totalmente a distância. Encerra-se mais um ciclo, mas a formação continua!

Todos cursistas continuarão tendo acesso aos materiais dos seis módulos do curso e aos fóruns de discussões, mesmo que agora não seja mais possível interagir. Além disso, em ambas modalidades, esse foi o momento dos professores compartilharem com sua turma o projeto em Artes que desenvolveram ou planejam desenvolver em sala de aula.

Nos encontros de encerramento que aconteceram em São Paulo e no Mato Grosso do Sul, os cursistas partilharam as dificuldades, parcerias (em alguns casos a escola inteira se mobilizou), expectativas e os caminhos que percorreram com seus alunos durante o desenvolvimento dos projetos.

Os projetos envolviam dança, teatro, design, audiovisual, gastronomia, fotografia, música, além de abordarem conceitos trabalhados durante a formação: tecnologia, patrimônio cultural, cultura visual, hibridismo nas artes e, é claro, as metodologias de projetos na prática escolar.

Trouxemos a voz de alguns cursistas para que eles contassem sobre o que o Aprendendo com Arte trouxe para sua perspectiva pedagógica:

 Antes do curso, eu acreditava que precisava pensar na sala para trazer uma metodologia de pesquisa para os alunos. Depois do Aprendendo com Arte, entendi que meus alunos são participantes, são eles que trazem a problemática a ser estudada na sala. Eu trouxe propostas dos alunos, revi minhas práticas com projetos e com a realidade da sala de aula. Hoje eu entendo que o projeto não é uma sequência didática, como eu fazia antes. Agora ele nasce na sala de aula por meio da problemática do aluno.
Tânia Maria Pereira Costa Marques – Mato Grosso do Sul (Mediadora: Luciana Nobre)

Reinventar-se não é virar algo diferente do que se é, é descobrir o seu melhor, é explorar todo o seu potencial. Partindo desta definição clássica e de tantos “és” na frase. Percebo que o curso Aprendendo com Arte é proposição, é provocação, é porrada, é estar vivo. Para mim, foi um adensamento de conceitos já conhecidos. Abordagens novas e instigantes que, confesso, me deram dor de cabeça para resolver, mas dei conta. Neste repensar o percurso, vejo que os passos dados estão entendidos e caso precise refazê-los tenho meus registros, o famoso registro de bordo desta viagem que só está em curso.
Mauricio Trindade – São Paulo (Mediadora: Cintia Ruiz)

O curso sempre me dava ideias e disparava questionamentos que rapidamente podia aplicar com os alunos. Me dava vontade de continuar trocando e somando com pessoas que trabalham com arte, que tenham repertórios diferentes, que estejam na educação. É o poder da arte e da contemporaneidade que nos aproxima dos alunos.   
Janaina Bastos Soares – São Paulo (Mediadora: Cintia Ruiz)

O Aprendendo com Arte trouxe para minha vida profissional um empoderamento, um fio condutor. Consegui ter um leque de opções para poder trabalhar essas vertentes da arte na educação. Mas, ao mesmo tempo, ele também me trouxe uma possibilidade de continuar falando do meu lugar, da minha cidade, meus costumes, minhas tradições, meu patrimônio, de uma forma contextualizada com a tecnologia e com a Cultura Visual.         
Marisa Gonzaga – Mato Grosso do Sul (Mediador: Vinícius Azevedo)

@

Não ativo recentemente